Bem-vindo ao Blog Falares de Portugal! 

Welcome to Falares de Portugal! 

Willkommen bei Falares de Portugal!

Inscreva-se na Newsletter
Escreva o seu nome e endereço de e-mail:
Nome:          Email:
Subscrever  Cancelar 

domingo, fevereiro 19, 2006

Linguagem dos jovens

A linguagem dos jovens é uma variedade diastrática da língua que se manifesta em todos os domínios linguísticos, nomeadamente na morfologia, sintaxe, semântica, pragmática, formas rotinadas e convencionalizadas de carácter discursivo e textual, aspectos não-verbais da semiótica (gestos), assim como, com menor intensidade, na fonologia.
Apesar de inicialmente a linguagem dos jovens ter surgido na conversação entre jovens do sexo masculino, a contribuição feminina para o desenvolvimento desta variedade é cada vez maior. Este tipo de linguagem é apreendido pelos jovens conscientemente e é usado intencionalmente como meio de auto-identificação. A linguagem dos jovens não é uniforme e a prova está no facto de nela encontrarmos variações de carácter social e regional. Além disso, factores como sexo, nível de formação e base étnica contribuem para o surgimento de diferenças e, consequentemente, para a quebra da uniformidade.
Uma das características mais marcantes da linguagem dos jovens é a sua curta-duração, mais concretamente a sua inconstância, assim como a riqueza em anglicismos que são usados com grande frequência com o objectivo de preservar e cuidar a imagem ou apenas pela mera necessidade de designação de um realidade.
Processos linguísticos usados na criação da linguagem dos jovens em português

Os processos linguísticos que estão na base da criação da linguagem dos jovens abrangem essencialmente as áreas da morfologia, sintaxe e semântica. Antes de passar à enunciação e exemplificação dos processos nestas três áreas é interessante referir que muitas das expressões apresentadas nos exemplos já não são utilizadas nem na variante europeia nem brasileira do português, ou seja, do momento da documentação à respectiva publicação algumas expressões dos jovens caíram em desuso, o que mais uma vez comprova o carácter esporádico deste tipo de linguagem. Zimmermann (2004) apresenta mina, palavra formada por síncope a partir de menina, como um dos exemplos já em desuso.

a) Processos morfológicos:
  • sufixação: sanduiche > sand-uba "estudante de literatura"
  • prefixação: des-transar "terminar uma relação, abandonar o companheiro"
  • composição: quebra-galho "ajudante, meio de ajuda"
  • aférese: estou >
  • síncope: menina > mina
  • apócope: analfabeta > analfa
  • troca de sílabas: vamos > mova
  • reduplicação: gruda-gruda "melga"
  • acrónimos/siglas: cu-de-ferro > CDF "marrão"

b) Processos sintácticos:

  • pronominalização: segurar-se
  • adjectivo/substantivo > advérbio: gostar horrores "gostar muito"

c) Processos semânticos:

  • metáfora: dar um eject "terminar uma relação amorosa"
  • metonímia: animal "estudante de medicina veterinária"
  • empréstimos do inglês: estar crowd "estar com muita gente"
  • tradução de empréstimos: trip > viagem
  • expressões hiperbólicas: satisfeiticíssimo
  • tendências disfemísticas: foder-se "ter azar"
  • fraseologismos: dar um jump "dar um salto para a piscina"

Texto de Regina Danner (Protocolo do seminário "Português Falado", do dia 30.01.06. Para mais informações consultar seminário - 30.01.06 em portuguesfalado.com.sapo.pt)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home